Alphaville Granja Viana – devastação ambiental

O aquecimento no mercado imobiliário dos últimos anos vem contribuindo para a destruição das poucas áreas verdes que ainda restam na Granja Viana/SP. Esta destruição vem se acelerando rapidamente nos últimos meses e, ironicamente, os empreendedores além de devastarem rapidamente grandes áreas, utilizam-se de propaganda enganosa para atrair possíveis compradores, usando como argumento de venda o discurso de empreendimentos ecologicamente responsáveis onde os novos moradores poderão viver próximo ao verde.

A devastação tem ocorrido com maior ferocidade no município de Carapicuíba, onde as construtoras tem se aproveitado de um Poder Municipal fraco e vacilante para rapidamente destruir grandes áreas verdes e, desta forma, evitar a reação das associações de moradores e de proteção ao meio ambiente, no sentido de tentar proteger a fauna da Mata Atlântica ameaçada de extinção.

Texto compilado do site www.proam.org.br:

“[…] A área desmatada corresponde, em média, a 28 campos de futebol. Além da vegetação nativa, animais em extinção são ameaçados com o empreendimento imobiliário.”

A área desmatada é um remanescente florestal de Mata Atlântica e, segundo os termos da Lei 11.428/06, somente em casos de utilidade pública e interesse social seria permitida eventual supressão de vegetação. Além disso, a área encontra-se listada no Programa de Conservação de Áreas Prioritárias para a Conectividade do Projeto Biota Fapesp, editado pela Secretaria do Meio Ambiente do Estado de São Paulo. Portanto, neste caso, qualquer licença ambiental é questionável.

Animais em extinção

No local desmatado foram encontradas diversas espécies de fauna que constam na lista de animais ameaçados de extinção, tais como: o Jacu-guaçu, Penelope obscura; o Papagaio-verdadeiro, Amazona aestiva; o Gavião-pomba-pequeno, Leucopternis lacernulatus; a Maracanã-pequena, Diopsittaca nobilis e o Sagüi-de-tufo-preto, Callithrix penicilat. Estas são apenas algumas espécies constantemente observadas na área do desmatamento.
Além disso, a área em questão é caracterizada como local de pouso, alimentação e reprodução de espécies ameaçadas.

Estudo

Para a realização do empreendimento imobiliário, que vem desmatando a vegetação nativa com moto-serra, não foi realizado nenhum estudo para avaliar os impactos relacionados à perda de habitat, principalmente para a conservação das espécies ameaçadas de extinção. Também, não consta nenhuma medida mitigadora e/ou compensatória para a conservação destas espécies da fauna e flora ameaçadas de extinção.
O empreendimento simplesmente ignorou a preservação da vegetação e da fauna. […]”

Maiores informações também no site:

http://www.vivacotia.com.br/index.php?option=com_content&view=article&id=1228:alphaville-granja-viana-a-estoria&catid=meioamb&Itemid=29

~ por Luis Albuquerque em Setembro 12, 2009.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

 
%d bloggers like this: